Mulher perde olho de silicone em estação do Metrô de SP (Foto: Reprodução/Facebook)Mulher perde olho de silicone em estação do Metrô de SP (Foto: Reprodução/Facebook)

Passageira achou olho na bolsa e entregou para funcionários.
Objeto está na Central de Achados e Perdidos da companhia, na Sé.

Gabriela Gonçalves
Do G1 São Paulo
A seção de achados e perdidos do Metrô de São Paulo recebeu um item inusitado. Em meio a guarda-chuvas, documentos e carteiras, um olho de silicone aguarda sua dona buscá-lo. A "jornada" da prótese ocular começou em 3 de junho, quando uma passageira da Linha 3-Vermelha constatou a perda.
Passageiros disseram que a dona do olho ficou apreensiva e pediu ajuda a quem estava vagão. Segundo a assessoria do Metrô, ela chegou a pedir ajuda aos funcionários da estação Guilhermina-Esperança para encontrar o objeto.

Uma semana depois, outra mulher, que participou da busca, percebeu que o olho estava dentro de sua bolsa e o levou para a Central de Achados e Perdidos, que fica na estação Sé, no Centro da capital. A proprietária pode retirá-lo lá de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7h às 20h.

De acordo o Metrô, este não é o único objeto inusitado que foi esquecido nas estações. Cadeiras de rodas, próteses de pernas, muletas, carrinhos de bebê e até vestido de noiva já foram encontrados nas linhas de metrô da capital. 

Achados e perdidos
Em 2015, foram recebidos 81 mil objetos na Central de Achados e Perdidos, na Sé. Desse total, 63% são documentos e 37% são objetos diversos. O que mais se perde nos vagões e estações do Metrô são documentos, artigos de papelaria, carteiras, peças de vestuário, acessórios e celulares.

O Metrô de São Paulo dispõe de um serviço de atendimento via telefone e internet para ajudar os donos a encontrarem seus objetos perdidos. Em 2015, foram mais de 116 mil consultas, cerca de 317 por dia. Na unidade da estação Sé, foram realizados 37 mil atendimentos presenciais.

As estações com maior número de objetos e documentos perdidos e encontrados, em 2015, foram Sé, Jabaquara Palmeiras-Barra Funda, Corinthians-Itaquera, República, Tucuruvi, São Bento, Santana, Luz e Ana Rosa, de acordo com o Metrô.

Todos os itens permanecem à disposição dos proprietários, por 60 dias. Após esse período, os objetos em bom estado e os valores não devolvidos são doados ao Fundo Social de São Paulo. Já os documentos são encaminhados aos órgãos emissores.

Serviço
O atendimento pessoal da Central de Achados e Perdidos é feito na estação Sé, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7 às 20h. As consultas de documentos e objetos também podem ser realizadas na Central de Informações do Metrô, pelo telefone 0800-770 7722, todos os dias, das 5h30 às 23h30, ou ainda pelo site do Metrô.
Fonte: G1