PlayWebTV

Mesa Diretora condiciona reajuste de servidores à saída do Sindsalem da AL-MA
POLÍTICA


Medida tem aparência moralista, mas não alcança entidades comandadas por esposas de deputados e ex-parlamentares

A Mesa Diretora do Poder Legislativo estadual decidiu desfazer o acordo feito com o Sindsalem (Sindicato dos Servidores da Assembleia Legislativa do Maranhão) e condicionou a reposição salarial dos servidores à saída da entidade das dependências da Casa.
Pelo acordo, a greve deflagrava seria desfeita e a Assembleia se comprometia a conceder reajuste de 5% aos servidores. Pressionada pela Justiça a divulgar a lista de todos os servidores e parlamentares, com seus respectivos salários, a Assembleia resolveu perseguir o sindicato, sob a alegação de que a sala onde a entidade funciona não tem amparo legal.
Ocorre que, embora tenha a aparência de justa e legal, a justificativa dada pela Mesa Diretora não alcança outras entidades que também são mantidas na estrutura da Casa.
Uma delas é o Gedema (Grupo de Esposas de Deputados do Estado do Maranhão), chefiado pela ex-deputada ficha suja Cleide Coutinho (PSB). Ela é a mulher do presidente da Assembleia, deputado Humberto Coutinho (PDT). Privilegiada, além de uma confortável e ampla sala no Legislativo estadual com telefone, água, luz, móveis, computadores e internet, a entidade possui ainda um link no site institucional do Poder, onde simula transparência dos gastos bancados com dinheiro público em ações de promoção das mulheres dos parlamentares.
Além da Gedema, quem também não sofre qualquer incomodo da Mesa Diretora por ter uma sala no prédio da Assembleia é a Associação dos Ex-deputados Estaduais do Estado do Maranhão (Aedem). A entidade tem como presidente o ex-deputado Eleotério Nan Souza, mas também é encabeçada pelas esposas de ex-deputados.
Pelo tratamento diferenciado, o Sindsalem publicou em sua página oficial que a imposição da Mesa Diretora seria uma especia de chantagem. Como resposta, a diretoria executiva da entidade autorizou a viagem de seu presidente, Luiz Noleto, para Brasília, com o objetivo de denunciar à situação ao Ministério do Trabalho. Durante sua passagem por Brasília, Noleto pode ainda passar pela Procuradoria Geral da República (PGR), comanda por Rodrigo Janot. Uma Assembleia Geral também está marcada para a próxima segunda-feira 20, às 16h, no Plenarinho da Casa.
O Sindsalem foi o responsável pela caça aos fantasmas da Assembleia Legislativa do Maranhão, que pode alcançar até 30% de seu quadro de pessoal. Dentre os possíveis fantasmas podem estar filhos e um sobrinho de desembargadores do Tribunal de Justiça do Maranhão, e até a nora do presidente do Tribunal de Contas do Maranhão (TCE), conselheiro Jorge Pavão.
O ATUAL7 tentou contato com a Comunicação da Assembleia Legislativa, mas não obteve retorno até a publicação desta matéria.

Fonte e Redação: Atual 7

0 comentários