Apicultores de Buriti Bravo tiveram acompanhamento da colheita pela Agerp e receberão 
assistência técnica para aumentar a produção
Os apicultores do Sertão Maranhense concluíram, esta semana, a colheita de mel na região. O trabalho foi acompanhado pelo Governo do Estado no assentamento Zé Carlos, em Buriti Bravo, que a partir de agora contará com assistência técnica da gestão estadual, por meio do Sistema da Agricultura Familiar, apoiado pela Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural (Agerp).

Nesta colheita, os 18 apicultores da comunidade colheram 730 kg de mel que serão comercializados a varejo na região ao preço de R$ 15 o quilo, gerando uma renda de mais de R$ 10 mil para os produtores. A criação de abelhas garante uma renda extra ao assentamento desde 2013, quando foi iniciada a atividade apícola. Em 2015, houve um aumento de mais de 300% na produção que em 2014 foi de 160 kg e no ano passado alcançou os 500 kg; chegando aos 730 kg agora em 2016.

Apicultores de Buriti Bravo tiveram acompanhamento da 
colheita pela Agerp e receberão assistência 
técnica para aumentar a produção
O secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, explicou que o Governo está trabalhando para desenvolver a cadeia do mel no Maranhão. “O objetivo do governador Flávio Dino é fortalecer as cadeias produtivas e a Agerp cumpre um papel fundamental de levar conhecimento e assistência técnica aos produtores, aumentando a perspectiva de vida dos apicultores e o desenvolvimento do Maranhão a partir do setor primário”, ressaltou o secretário Adelmo Soares.

Para o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça, com as devidas orientações a respeito das boas práticas de manejo, os apicultores terão maior produtividade com a previsão de colher mais de duas toneladas de mel, em 2017. “A Agerp é responsável em oferecer assistência técnica aos apicultores, o que permitirá uma maior produção, evitando desperdícios de mel e gerando maior qualidade e comercialização do produto”, afirmou o presidente da Agerp, Júlio César Mendonça.

O gerente da Cadeia do Mel da Agerp, José Malheiros, acompanhou a colheita e orientou sobre o manejo correto aos apicultores. “A região possui um grande potencial para atividade apícola e nossa expectativa é que com a assistência técnica eles produzam mais”, comentou José Malheiros, ao falar sobre a capacidade da produção chegar a duas toneladas no próximo ano em Buriti Bravo e 100 toneladas nas Regiões da Baixada e Alto Turi.

Fonte: Ascom Agerp/SAF