Suspeitos de envolvimento com facção são detidos durante operação (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Suspeitos de envolvimento com facção são detidos durante operação (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Cinco suspeitos foram presos, segundo superintendente de Polícia Civil.
Eles são suspeitos de organização criminosa, porte de arma e receptação.

Do G1 MA
Mais cinco suspeitos de envolvimento com facções criminosas da Região Metropolitana de São Luís foram presos no começo da tarde desta sexta-feira (20). Antes, 14 pessoas foram detidas após a onda de ataques a ônibus registrada na capital desde a noite de quinta-feira (19). Deste total, dois deles participaram dos ataques em 2014. Todos foram autuados em flagrante.

Além dos quatro ônibus incendiados na quinta-feira, outros três veículos foram alvos dos criminosos nesta sexta-feira. O ataque mais recente aconteceu por volta das 12h no Sol e Mar. Apesar da tentativa de incêndio, o fogo foi rapidamente controlado e o veículo não sofreu grandes avarias. Pela manhã outros dois ônibus foram atacados nos bairros João de Deus e no Coroadinho.
A operação foi realizada em localidades onde predominam o controle de facções. A ação contou com a participação de agentes da Polícia Civil e homens do Comando Tático Aéreo (CTA) nos bairros Bequimão e Vila Palmeira.

Segundo o delegado Armando Pacheco, superintendente de Polícia Civil da Capital (SPCC), a ação foi desencadeada em resposta aos ataques realizados na cidade nas últimas 24 horas. Todos são suspeitos de organização criminosa, receptação, porte de armas e outros crimes.
Ônibus não param
O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão (Sttrema) afirmou que vai manter a circulação dos ônibus normalmente. A decisão foi tomada após reunião com a cúpula de segurança realizada no Palácio dos Leões nesta tarde.
Sindicato garantiu a circulação normal dos ônibus e desmente boatos contrários (Foto: De Jesus / O Estado)Sindicato garantiu a circulação normal dos ônibus e desmente boatos contrários (Foto: De Jesus / O Estado)
A polícia se comprometeu em manter o efetivo nas ruas da Região Metropolitana para dar segurança à população.  Pela manhã o sindicato havia decidido que a proporção que os veículos fossem atacados, a frota da linha em questão seria recolhida e os veículos levados para as garagens, até que a situação fosse normalizada.

Ordem do presídio
Secretário de Segurança confirmou que as ordens dos ataques foram feitas de dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, que ganhou destaque nacional após fugas, mortes e rebeliões sangrentas. Em 2014, detentos também ordenaram ataques a ônibus por causa das constantes revistas no presídio.
O complexo possui oito unidades em São Luís: Penitenciária de Pedrinhas, Centro de Detenção Provisória (CDP), Central de Custódia de Presos de Justiça (CCPJ), Centro de Triagem (CT), Casa de Detenção, Presídio São Luís I e II (PSL I e PSL II) e Centro de Reeducação e Integração Social das Mulheres Apenadas (Crisma) ou Presídio Feminino (PF).
Fonte: G1 Ma