Para Wanda Simões de Pádua, o que ocorreu foi uma fatalidade.
Cunhado de Hickmann é suspeito de atirar no fã durante confusão em hotel.

Do G1 Zona da Mata

Após o sepultamento do corpo de Rodrigo Augusto de Pádua, a mãe Wanda Simões de Pádua, de 75 anos, falou com a imprensa no Cemitério Municipal de Juiz de Fora. "É uma fatalidade o que aconteceu. O destino foi muito cruel. Tirou o meu filho, o meu caçula que eu amava tanto. Agora ele vai ficar no meu coração", afirmou.

Ele foi morto após invadir o quarto de Ana Hickmann em um hotel de Belo Horizonte no último sábado (21). Ele ameçou a apresentadora e os cunhados dela. O cunhado da modelo, Gustavo Correa, é suspeito de atirar no fã durante a confusão. A Polícia Civil vai investigar o caso como legítima defesa. No Instagram, todos os posts de Rodrigo eram relacionados à modelo, que o fã dizia amar.
A mãe dele foi a única parente a se manifestar durante o velório e o enterro. Os demais familiares e amigos preferiram não conversar com a imprensa. De acordo com Wanda Simões de Paiva, Rodrigo era um rapaz tranquilo e ligado à família.
"Ele era um menino muito bom, muito educado, querido por todos. Ficava mais em casa. Só saía comigo. Era da academia para casa e da casa para academia. Não tinha inimigo, não bebia, não fumava, não tinha vício de nada, não mexia com droga. Era muito carinhoso com os irmãos, muito carinhoso comigo, vivia me abraçando e me beijando dentro de casa”, ressaltou.
A mãe dele, Wanda, ainda ressaltou que o filho foi para Belo Horizonte para conhecer a cidade e encontrar o irmão que mora na capital mineira. “O meu filho era o melhor filho do mundo. Só eu conhecia meu filho. Não era ele quem fez aquilo. Era outra pessoa", afirmou.
Sepultamento Rodrigo Augusto de Pádua, fã de Ana Hickmann, em Juiz de Fora (Foto: Roberta Oliveira/G1)Rodrigo Augusto de Pádua foi sepultado em Juiz de
Fora (Foto: Roberta Oliveira/G1)
O corpo de Rodrigo Augusto de Pádua chegou a Juiz de Fora, onde ele morava com os pais, por volta das 17h desse domingo (22) e ovelório foi realizado até a manhã desta segunda (23). O enterro estava previsto para as 9h, mas houve atraso e ocorreu por volta das 10h.
O cunhado de Rodrigo, Luiz Eduardo de Oliveira Vieira, disse que a família está em choque com o ocorrido. "É uma situação muito difícil, é alarmante. Ele disse que iria para Belo Horizonte para conhecer a cidade. Ele era muito carinhoso com a mãe, ficava na dele. Não tinha anomalia no comportamento. Tudo aconteceu de supetão", contou.
Em uma rede social, Gustavo Correa classificou o ocorrido como uma aberração. Já Alexandre, usando também a internet, chamou o irmão de herói. Ana Hickmann declarou, por meio de nota divulgada por sua assessoria neste domingo (22), que está "profundamente abalada e triste".
De acordo com o advogado da família de Ana Hickmann, Maurício Benfica, a apresentadora e o marido já retornaram para São Paulo. Ainda segundo Benfica, Giovana passou por uma cirurgia e está se recuperando.
Fascínio por Ana Hickmann
No perfil que Rodrigo mantinha no Instagram, todos os posts eram relacionados à apresentadora, que o fã dizia amar. "Descobrimos essa quantidade de informação há um tempo pequeno", disse o cunhado, Luiz Eduardo de Oliveira Vieira.
O irmão de Rodrigo Augusto de Pádua, Helisson de Pádua, chegou ao hotel no início da noite deste sábado e, muito emocionado, falou sobre o irmão. Segundo ele, foram descobertas mensagens de Rodrigo onde ele dizia que se correspondia por textos com a apresentadora. Helisson contou que, ultimamente, o irmão estava mais recolhido ao quarto.
O delegado de Homicídios Flávio Grossi disse que a família de Rodrigo Augusto de Pádua sabia do fascínio do jovem pela modelo.
Fã de Ana Hickmann invade, armado, hotel onde estava a apresentadora e acaba morto em briga, em Belo Horizonte (Foto: Reprodução/Instagram)Fã de Ana Hickmann invadiu, armado, hotel onde estava a apresentadora e acaba morto em briga, em Belo Horizonte (Foto: Reprodução/Instagram)
O crime
O fã, que estava hospedado no mesmo hotel que a apresentadora, rendeu Gustavo e o obrigou a ir até o quarto de Ana, onde também estava Giovana. 
Gustavo e Ana Hickmann prestaram depoimento na noite deste sábado, na Delegacia de Homicídios de Belo Horizonte. Segundo o delegado, Rodrigo foi morto com três tiros, dois na nuca e um no braço. A arma, um revólver calibre 38, estava com a numeração raspada.
O delegado contou a mesma versão contada no Boletim de Ocorrência da Polícia Militar. Após render Gustavo, Rodrigo obrigou o empresário, Ana e Giovana a ficarem de costas. Gustavo resistiu. O fã, então, disparou a arma, atingido dois tiros em Giovana, um no ombro e outro na barriga. 
Ela passou por uma cirurgia e está se recuperando. Ainda será avaliado a necessidade de outra operação, conforme o advogado. Neste domingo, a assessoria do hospital Biocor informou que Giovana foi submetida a uma cirurgia de emergência para tratamento de lesões intestinais e vasculares. Ainda de acordo com a unidade de saúde, ela se encontra em tratamento intensivo. “Está lúcida, acordada, consciente e com os sinais vitais estáveis, apesar de ainda sob riscos e inspirando cuidados. Respira sem ajuda de aparelhos”, diz a nota do hospital.
Ana Hickmann deixa delegacia após prestar depoimento em Belo Horizonte; fã foi morto após ameaçá-la (Foto: DENILTON DIAS/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDO)Ana Hickmann deixa delegacia (Foto: DENILTON
DIAS/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDO)
Após os tiros, Gustavo começou a lutar com Rodrigo e mandou a apresentadora e Giovana deixarem o quarto. As duas foram ajudadas pelo cabeleireiro e maquiador Júlio Figueiredo. Rodrigo foi desarmado e baleado durante a briga.
O capitão Flávio Santiago, chefe da sala de imprensa da Polícia Militar, disse em entrevista coletiva que o próprio cunhado da apresentadora entregou a arma na recepção do hotel e pediu para que chamassem a polícia.
"Ele [Gustavo] atesta que, nesta luta corporal, há os três disparos, ele vê que o cidadão cai ao solo. Ele pega a arma, desce de imediato e entrega esta arma para a portaria do hotel e avisa ‘Olha, tem um cidadão lá, que atentou contra a nossa vida, chama a polícia”, disse capitão Santiago.
Fonte: G1