Deputado Adriano critica a política industrial do estado



O deputado estadual Adriano Sarney (PV) comentou, nesta segunda-feira (2), na tribuna da Assembleia, o estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o qual revela que o Maranhão, de 2010 a 2013, foi o único estado do Nordeste em que houve aumento na participação da indústria no PIB estadual.
“Esse resultado demonstra, mais uma vez, que a política econômica e industrial no governo Roseana Sarney deu certo. E poderia estar dando certo hoje, mas infelizmente o governador do Maranhão decidiu interromper o programa Pro-Maranhão e substituí-lo por um programa ineficiente, o Mais Empresas, que eu considero um atraso para o estado e aí estão os números para provar isso”, declarou o deputado.
O parlamentar ressaltou que, na atualidade, a capital do estado apresenta-se como a segunda maior do país em nível de desempregados (13,5%), e a quinta capital brasileira em inadimplência (36%), segundo dados da Serasa Experience. De janeiro a março deste ano o Maranhão registrou a eliminação de mais de sete mil postos de trabalho, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
Voltando ao estudo da CNI, verifica-se que de 2010 a 2013 a indústria foi um dos setores que mais contribuíram para elevar o Produto Interno Bruto (PIB) estadual, com aumento de 2,2 pontos percentuais (p.p.) de variação.
Nesse período, o Maranhão foi o único estado do Nordeste com saldo positivo (média de 10% de crescimento ao ano) e o sétimo no ranking nacional. Entretanto, em 2015, segundo as estatísticas econômicas, o quadro mudou e o PIB do Maranhão apresentou uma baixa histórica de 5%, fruto do desinvestimento no setor privado e do agigantamento da máquina pública.
“É uma vergonha o que acontece hoje no estado por falta de operacionalidade do governo. Nós deputados, e eu como líder da Frente Parlamentar das Micro e Pequenas Empresas, precisamos atuar fortemente na Assembleia para que retrocessos como esses não voltem a acontecer”, finalizou o deputado Adriano Sarney.