Deputado Federal Rubens Jr

Tenho clara convicção que este processo de impeachment é diferente do ocorrido em 1992. Aquela votação unia o país, esta divide! Qualquer que seja o resultado. Um exemplo é o muro instalado na Esplanada.
O PT cometeu vários erros, mas deve ser julgado nas eleições de 2018, pelo povo! A presidente Dilma também, eventualmente errou, mas não cometeu nenhum dos crimes de responsabilidade apontados na denúncia. Como então condenar alguém sem o efetivo cometimento de um crime?
que temos é uma oposição que não conseguiu sequer fazer um pedido de impeachment que cumpra a CF e a Lei 1.079.
A Câmara não julga. Autoriza ou não o início do processo. Em que caso a Câmara deve vetar tal procedimento? Quando houver em curso um conluio, uma tramoia, uma armação. E é este caso! Isto é um projeto de poder pessoal do réu Eduardo Cunha e do vice-presidente Michel Temer, que não tem outra forma de chegar ao poder, vetando assim esta trama. Pesquisas atestam que não há legitimidade popular que dê respaldo a Temer no lugar de Dilma.
Voto contra a autorização do impeachment, vetando assim este conluio. A História nos julgará.
Rubens Pereira Jr. Deputado Federal e vice-líder do PCdoB-MA.