Durante toda a tarde desta quinta-feira (7), data que remete ao Dia Mundial da Saúde, o deputado estadual Wellington do Curso (PP) realizou uma audiência pública na Assembleia Legislativa para debater a atual situação da saúde pública no Maranhão e em São Luís, bem como seus retrocessos e avanços.

Inicialmente, o deputado Wellington realizou uma dinâmica diferente e fez a composição da mesa prestigiando populares e líderes de movimentos sociais que expressaram suas indignações com a precariedade no sistema de saúde pública em São Luís. Dentre os diversos fatos denunciados, foi relatada a falta de médicos em algumas unidades, problemas no atendimento e na estrutura de hospitais, a humilhação no Centro de Marcação de Consultas, dentre outros fatores que vêm incomodando a população.

Estiveram presentes o secretário adjunto de Estado da Saúde, Arnaldo Garcia; a secretária municipal de Saúde de São Luís, Helena Duailibe; a representante do Ministério Público, Fabíola Moucherek; o defensor público federal, Yuri Costa; o representante do Conselho Estadual de Saúde, Jhonny Sousa; o presidente do Conselho Estadual das Pessoas com Deficiência, Dilson Bessa, além de representantes de diversos movimentos sociais e membros da sociedade civil que sofrem diariamente com o descaso da saúde pública.



Ao fazerem uso da palavra, os espectadores lamentaram a ausência da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa na audiência e externaram, na ocasião, as suas inconformações com a falta de atenção e assistência do poder público ao básico e à dignidade humana. Um dos presentes na audiência, declarou ser necessária urgentemente a adoção de políticas públicas que promovam a qualidade de vida e o bem-estar da população a fim de proporcionar melhorias contínuas no sistema de saúde, que hoje se encontra em estado de calamidade.

Após sete horas de audiência, o deputado Wellington finalizou reafirmando o seu apoio, a sua voz e, mais uma vez, colocando o seu mandato à disposição da saúde pública do Maranhão, das pessoas com deficiência, das minorias e de todos aqueles que se sentem abandonados pelo poder público.

“Sempre tive muita determinação na vida, mesmo com todos os desafios que me trouxeram até aqui. Esta audiência foi um grande aprendizado a todos nós, representantes do povo, pois serviu para nos alertar sobre quanto a nossa saúde pública está padecendo e pedindo socorro. Enquanto cidadão e representante do povo maranhense, reafirmo o meu apoio incondicional a cada um de vocês, que aqui representam parte de uma população decepcionada e revoltada com a humilhação diária a que são submetidos, como é o caso do movimento em defesa dos autistas. Vocês têm na Assembleia um deputado sensível às causas sociais e disposto a lutar incansavelmente pelos direitos de cada um de vocês. A saúde está pedindo socorro em todas as áreas e sentidos. Não podemos nos calar em meio a este desrespeito”, disparou o parlamentar.

Ao final da audiência, foram solicitados vários encaminhamentos, dentre eles:
- Atenção à Lei que prevê a criação do Centro de Referência da Pessoa com Espectro Autista (Indicação 310/2015 de autoria do deputado Wellington);
- Criação de uma ala específica para os autistas no Hospital da Criança;
- Solicitar à secretaria de Saúde que volte a fornecer as latas de leite às mães das crianças com autismo;
- Formular proposta de criação do Protocolo Específico;
- Apurar a denúncia referente à industrialização de macas;
- Propor a implantação do Centro de Referência à saúde dos moradores de rua;
- Reativação da UVZ (Unidade de Vigilância em Zoonoses);
- Providenciar um local para a Oficina Ortopédica e a manutenção das cadeiras de rodas;
- Solicitar, mais uma vez, a acessibilidade e a sinalização adequada para as pessoas com deficiência nas ruas.
Por último, também ficou acertada uma Audiência Pública para discutir sobre a Atenção Básica da saúde municipal, com data ainda a ser definida.