A sede do município de São João do Sóter vai ganhar uma APP – Área de Preservação Permanente, que tem por objetivo proteger a fauna e a flora em meio ao desenvolvimento urbano. 

Como ponto inicial desse projeto, a Prefeitura garantiu durante cinco dias, a permanência no município de um grupo formado por 24 alunos do 5º período de Ciências Biológicas do Centro de Ensino Superiores de Caxias – CESC/UEMA.

Acompanhados do Coordenador de Meio Ambiente, Leôncio Reis, os futuros biólogos estiveram no córrego da Área de Proteção Ambiental. Com equipamentos adequados, capturaram insetos, peixes, dentre outros e notificaram plantas, afim de identificar todas as espécies deste existentes no município. Em seguida, tudo que catalogado, foi devolvido com segurança ao seu habitat natural.

De acordo com o Secretario Municipal do Meio Ambiente Leôncio reis, “o projeto da APP é um grande compromisso com os sotenses, pois será criada uma área verde em um local em pela zona urbana, além de proteção a nascentes."

Após o trabalho de campo, o Secretário Leôncio Reis e os alunos da UEMA, foram recebidos no último dia 8 de março, pela prefeita Luíza Rocha no Gabinete do Palácio da Esperança.



O assunto em pauta foi a Criação e Legalização da APP (ÁREA DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE) de São João do Sóter, bem como o desenvolvimento de ações que promovam a conscientização dos sotenses sobre a necessidade de preservar o meio ambiente.

A prefeita destacou os caminhos trilhados pelo Município na área ambiental e os resultados que estão sendo colhidos. “Aqui em São João do Sóter estamos nos esforçando para fazer a nossa parte nessa área do meio ambiente, dos recursos naturais, do consumo sustentável deles. Como exemplo; destaco a criação dos comitês de bacias hidrográficas do Itapecuru, que reúnem representantes do poder público, do setor privado e da sociedade – para gerenciar os recursos hídricos do nosso rio bem como dos seus afluentes”, frisou Luíza Rocha


Por Mano Santos
Colaboração Análio Júnior
Fotos: Blog FrankNotícias