O deputado estadual e membro da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, Wellington do Curso (PPS), utilizou a tribuna da Casa Parlamentar, na manhã desta quarta-feira (16), para sair, mais uma vez, em defesa da Educação no Maranhão. Desta vez, o parlamentar fez referência à paralisação nacional dos trabalhadores em educação, iniciada ontem (15), em São Luís, que paralisou as atividades nas redes municipal e estadual, e se estenderá até a quinta-feira (17).

“Os professores de todo o Brasil estão fazendo uma ampla mobilização pela valorização dos professores, pela valorização da educação e lutando contra a precarização do ensino público. Ontem, realizaram a primeira das três  manifestações em São Luís. Tendo em vista o constante estado de calamidade em que se encontra a Educação no Maranhão, solicitamos a sensibilidade da Comissão de Educação desta Casa, dos demais deputados, do secretário de Estado da Educação e do governo do Estado às demandas dos professores e da educação. Essa mobilização realizada desde ontem devido à precarização do ensino público municipal e estadual, é um olhar crítico sobre a atuação dos nossos governantes, desde à Presidência da República, à prefeitura de São Luís”, destacou.

Durante o pronunciamento, o deputado Wellington, que já apresentou 28 indicações cobrando e solicitando melhorias e investimentos na educação estadual e de diversos municípios, relatou, ainda, as principais demandas dos professores da rede pública municipal e estadual, além de ressaltar a necessidade de se ter o respeito com a Educação no Estado e com os professores que, segundo ele, tanto se empenham na construção de futuros.

“De uma forma geral, a categoria luta pela principal reivindicação, que é o reajuste de 3,68% e a recomposição de perdas da proposta da classe, que não recebeu retorno principalmente no município, levando em consideração que a Prefeitura de São Luís já enfrentou uma grande greve. Foram mais de 100 dias de paralisação na atual gestão. Os professores da rede estadual fazem referência também ao piso da categoria e encaminharam ofício ao sindicato dos trabalhadores da educação (SINPROESEMMA), à Secretaria de Educação, que representa os professores do Estado, funcionários de educação, inspetores de escolas, além de comunicarem ao governo do Estado a adesão ao movimento. Assim como nos anos anteriores, o documento foi enviado com antecedência ao SINPROESEMMA e à Secretaria de Educação. Não estamos aqui para criticar ou somente para alertar os nossos governantes sobre o que está acontecendo em todo o Brasil e no Maranhão, mas para pedir a atenção do governo do Estado e das secretarias de Educação para que possam atender aos anseios dos professores que tanto lutam pela dignidade das nossas crianças e jovens e recebem como ‘reconhecimento’ o desprezo dos governantes. Que possamos, enquanto representantes do povo, durante esses três dias de mobilização, mostrar o respeito que a Assembleia Legislativa e que o Poder Executivo tem com a educação no nosso Estado, ou ao menos deveriam ter”, declarou o deputado.