Se a moda pega...
A noite de Réveillon do advogado carioca Eduardo Goldenberg poderia ter ficado na sua memória como um momento desagradável.

Em um post publicado em seu perfil no Facebook, ele conta que teve sua carteira furtada, com todos seus documentos, cartões e uma boa quantia em dinheiro, ao se encaminhar para a festa na praia de Copacabana. Mas o caso teve um desfecho tão inesperado que seu relato viralizou, com mais de 8,4 mil curtidas e 4 mil compartilhamentos até o momento.

"Naquele noite, não sei por que motivo, coloquei no bolso minha carteira inteira, com todos os documentos, e saí. Não tinha qualquer lógica, pois não pagaria nada naquela noite, mas acabei levando junto R$ 1.017 em dinheiro que estavam nela. Estava saindo da estação Siqueira Campos, já em Copacabana, quando senti uma mão no meu bolso. Minha carteira havia sido roubada. Ainda olhei para minha mulher naquele momento e comentei como havia sido uma burrice sair assim de casa. Disse que fazer isso era quase como pedir para ser assaltado..."

Ele conta que no primeiro dia do ano, estava almoçando com amigos no mesmo restaurante onde passou a noite do Ano Novo, quando recebeu uma mensagem pelo Facebook. Uma amiga escreveu dizendo que uma pessoa havia entrado em contato para ela. O homem se identificou como policial e disse que estava com a carteira, comtodos os documentos, menos, claro, o dinheiro.

O policial relata que estava trabalhando naquela noite próximo da estação e que uma pessoa veio até ele e entregou minha carteira dizendo que a havia encontrado no chão.

Para a surpresa de Eduardo, na última terça, ao chegar ao seu escritório, no Centro do Rio, "onde trabalho sozinho, abri a porta e me deparei com outra surpresa: no chão, havia um envelope branco fechado, sem nada escrito. Na hora, me toquei que eram cédulas. Ainda me perguntei se alguém tinha ficado de me deixar dinheiro e não me lembrava.

Quando abri, fiquei sem chão: eram R$ 967,00 em dinheiro. Junto, um bilhete:

"Dr. Eduardo, estou devolvendo seu dinheiro que eu peguei da sua carteira no dia 31 em Copacabana. Não dormi arrependido e peço que me perdoe. Feliz Ano Novo. Só tirei cinquenta reais pra comprar uma champanhe pra minha mãe.



iCaxias