Segundo a polícia, horário extrapolou determinação judicil da lei do Silêncio (Foto: Angra Nascimento)Público revoltado com cancelamento iniciou um tumulto na casa de eventos (Foto: Angra Nascimento)

Legislação municipal permite apresentações apenas até às 2h.
Às 3h da manhã, cantor não havia nem chegado no local do show.

Do G1 MA
Um show do cantor Israel Novaes que estava marcado para acontecer na noite deste sábado (23), em Imperatriz, a 626 km de São Luís, foi cancelado pela polícia. O motivo de a Polícia Militar ter impedido a apresentação, foi em decorrência de um grande atraso, que extrapolou o período da Lei do Silêncio, que vai até às 2h da manhã.
A casa estava lotada e, por volta das 2h da manhã, o cantor ainda não havia subido ao palco. Quando a polícia chegou no local para impedir a apresentação e fazer valer a determinação da Justiça, vários menores foram encontrados ingerindo bebida alcoólica.
Segundo a polícia, horário extrapolou determinação judicial da lei do Silêncio (Foto: Angra Nascimento)Segundo a polícia, horário extrapolou determinação
judicial da Lei do Silêncio (Foto: Angra Nascimento)
“O comissariado pegou vários menores ingerindo bebida alcoólica, todo mundo sabe que é proibido. Com isso foi lavrado  um auto de infração, conduzindo a proprietária [da casa de shows] e os menores para a delegacia", afirmou o tenente Santos, que participou da intervenção.
Às 3h da manhã, o cantor ainda não havia chegado na casa de shows, causando revolta no público, que iniciou um tumulto. Latinhas e baldes foram jogados no palco, atingindo vários equipamentos da banda. Membros da equipe de produção do cantor também foram alvo de ataques das pessoas que esperavam pelo show.

Mais outras três atrações estavam programadas para subir ao palco, mas nenhuma delas se apresentou.
G1 entrou em contato com a assessoria do cantor para ter mais informações sobre o cancelamento da apresentação e aguarda retorno.
Sobre o caso, o presidente do Procon-MA, Duarte Júnior disse ao G1 que ainda não sabia do ocorrido mas garante que, se for confirmado, o órgão vai agir em defesa dos consumidores que adquiriram o ingresso.

“Ainda não chegou nada do Procon de Imperatriz para mim, mas garanto que, se for confirmado, ainda essa semana o Procon vai agir em defesa dos consumidores que adquiriram o ingresso. Inclusive, aproveito para alertar aos que compraram os ingressos que formalizem uma denúncia junto a agência do Procon mais próxima. Se o show não aconteceu ou foi interrompido antes de terminar, o consumidor tem o direito de ser ressarcido”, informou.
Por telefone, a reportagem do G1 tentou falar com o responsável pela casa de shows Santa Fé Eventos, mas ninguém atendeu as ligações.
Fonte: G1 Ma