Menino de 9 anos foi acorrentado em casa na Zona Sul de Macapá (Foto: João Bosco / Cobnselho Tutelar)Menino de 9 anos foi acorrentado em casa na Zona Sul de Macapá, diz conselho (Foto: João Bosco / Conselho Tutelar)

Mãe disse em depoimento que menino não a obedecia, informou a polícia.
Outras duas crianças foram encontradas em casa na Zona Sul de Macapá.

Jéssica Alves
Do G1 AP
Uma mulher de 34 anos foi presa nesta segunda-feira (4) no bairro Novo Buritizal, na Zona Sul deMacapá. Ela é suspeita de manter o próprio filho de 9 anos acorrentado em casa.
O menino foi encontrado pelo Conselho Tutelar da cidade, que disse ter achado, além do garoto, outras duas crianças, um menino de 6 anos e uma menina de 8 anos, portadora de deficiência física, trancados no imóvel.
Mulher alegou que crianças não estaria obedecendo (Foto: João Bosco / Cobnselho Tutelar)Mulher disse que crianças não a obedeciam
(Foto: João Bosco / Conselho Tutelar)
De acordo com o conselheiro João Bosco, as crianças foram localizadas após denúncia anônima. Ele conta que quando as equipes do conselho e das polícias Militar e Civil chegaram à casa, encontraram a criança acorrentada próximo a uma janela. Ele estaria gritando por ajuda.
Ao  entrar na residência, os agentes e conselheiros teriam se deparado com um ambiente sem condições de higiene, sujo e com mau cheiro.
"A casa estava totalmente sem higienização. As crianças estavam trancadas, em situação total de abandono. O menino de 9 anos estava com o pé esquerdo acorrentado em uma cama, e a menina em cima do móvel", disse Bosco.
Segundo ele, a mulher foi localizada em um residência no mesmo bairro, onde estaria trabalhando como doméstica. Ao ser abordada, ela teria confirmado que havia acorrentado o menino, justificando que ele não a obedecia. Conforme Bosco, a mulher morava sozinha na casa com as crianças. Ela não teria dado informações sobre o pai ou outros parentes.
Conselheiro Tutelar João Bosco (Foto: Jéssica Alves/G1)Conselheiro Tutelar João Bosco
(Foto: Jéssica Alves/G1)
"Ela disse que não aguentava mais sair para trabalhar e o filho ficar na rua até o fim do dia. Alegou que foi o único jeito que encontrou para controlá-lo. Mas isso não justifica o fato de as crianças estarem praticamente abandonadas e com maus tratos na residência", falou o conselheiro.
Segundo ele, o menino informou que esta não foi a primeira vez que isso aconteceu, e que já havia ocorrido outras situações de violência na casa. "Ele disse que já sofreu queimaduras, foi espancado e viu os irmãos sofrerem maus tratos semelhantes", informou Bosco.
Em depoimento na Delegacia de Crimes Contra a Mulher (DCCM), na tarde desta segunda-feira, a mãe confessou, segundo Bosco, que acorrentou a criança porque não havia alguém que tomasse conta do menino.
De acordo com a polícia, ela poderá ser indiciada por maus tratos, cárcere privado e abandono de incapaz.
As crianças foram encaminhadas para a Polícia Técnico-Científica (Politec) onde fizeram exame de corpo de delito. O Conselho Tutelar informou que fará um levantamento para resolver o destino das crianças, que não retornarão à residência da mãe. Ainda de acordo com o conselho, a mãe poderá receber acompanhamento psicológico.
Fonte: G1