Advogado pede na Justiça fim do Conselho LGBT no Maranhão


O advogado Pedro Leonel Pinto de Carvalho protocolou na Justiça, ação popular pedindo que seja decretada a nulidade do ato de criação do Conselho Estadual dos Direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) do Maranhão. O colegiado foi criado após aprovação, pela Assembleia Legislativa, de projeto de lei de autoria do Poder Executivo.

O autor da ação pede, ainda, que o governador Flávio Dino (PCdoB) e o secretário de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular, Francisco Gonçalves (PT), sejam obrigados a fornecer informações sobre gastos públicos com a implantação do conselho e, ainda, com a mais recente Parada do Orgulho LGBT realizada em São Luís, no mês de agosto, “organizada pelo Grupo Gayvota, com o apoio do Governo do Estado do Maranhão”.

Ao fundamentar seu pedido, Pedro Leonel alega falta de informações claras sobre o investimento de recursos públicos na promoção da causa LGBT no Maranhão, e aponta que já existe no estado um grupo idêntico, destinado à defesa dos direitos de gays, lésbicas e transgêneros: o Comitê de Enfrentamento à Homo-Lesbo-Transfobia, criado em 2014.

Ele ressalta, ainda, o uso dos movimentos LGBT como palanque para “partidos políticos e movimentos de esquerda” e critica algumas bandeiras defendidas pelos militantes.

“Tornou-se público e notório que a agenda do movimento LGBT, assim como o gayzismo, ostentam hoje nítido caráter ideológico – de reengenharia comportamental a ser implementada por meio de políticas públicas – com indisfarçável ligação com partidos políticos e movimentos de esquerda. De resto, não escondem esse protagonistas do ativismo social que sempre fazem coro com com defensores de teses tais como: aborto livre, liberação de drogas, veto à lei contra o terrorismo, estatização total dos meios de produção, proibição do ensino religioso”, argumentou.

O processo tramita na Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Capital.


Fonte: Irmão Inaldo

Postar um comentário

0 Comentários